sábado, outubro 27, 2012

PROMOÇÃO Cinemark no blog \o/

Meninas!!!
Estou divulgando aqui  um sorteio que será feito neste blog!! Vocês NÃO PODEM PERDER!!
O prêmio será de um par de ingresssos da Cinemark para assistir um dos espetáculos exibido pela Cinemark em cinemas de todo o Brasil. São 9 espetáculos lindíssimos para você escolher e assistir com um acompanhante!



DIVULGUEM EM SEUS BLOGS MENINAS! VAMOS PARTICIPAR!



COMO PARTICIPAR?

A promoção segue o seguinte regulamento:
- No período de 27/10 a 21/11* comentar este post completando a seguinte frase: "Eu amo o ballet porque..." com no máximo 2 linhas. A frase mais criativa ganhará o par de ingressos!
- Não podem esquecer de colocar logo abaixo a sua frase, o seu nome completo, sua cidade e seu email.

(período provisório* Pode sofrer alterações.)

MAIS INFORMAÇÕES:


Como parte das comemorações de seus 15 anos no Brasil, a Rede Cinemark apresenta com exclusividade a temporada 2012/13 de óperas e balés do The Royal Opera House (ROH), de Londres, a partir do dia 23 de outubro. O ROH promove espetáculos com grandes elencos em montagens inovadoras, ampliando seu alcance e atraindo um público de faixa etária variada. O balé O Lago dos Cisnes terá exibição ao vivo direto de Londres. As apresentações serão exibidas com projeção 2k (High Definition), áudio 5.1 e, para as óperas, legendas em português.
- O sucesso da temporada anterior, que apresentamos entre fevereiro e maio de 2012, confirmou o grande interesse do público brasileiro pelos espetáculos de uma das mais importantes casas de ópera e balé da atualidade – afirma Bettina Boklis, Diretora de Marketing da Cinemark Brasil.
As apresentações acontecem entre outubro de 2012 e junho de 2013. O balé O Lago dos Cisnes abre a temporada em 23 de outubro, às 16h15m, em 30 complexos da Rede em todo o Brasil: complexos nos shoppings Cidade Jardim, Eldorado, Iguatemi, Market Place, Paulista, Metrô Santa Cruz e Villa Lobos (São Paulo), Tamboré (Barueri), Iguatemi Campinas (Campinas), Novo Shopping (Ribeirão Preto), Praiamar (Santos), Botafogo, Downtown e Niterói (Rio de Janeiro), Salvador (Salvador), Iguatemi Brasília e Pier 21 (Brasília), Vitória (Vitória), Flamboyant (Goiânia), BH e Pátio Savassi (Belo Horizonte), Barigui e Mueller (Curitiba), Barra Sul e Ipiranga (Porto Alegre) e Floripa (Florianópolis). Os ingressos dessa temporada podem ser adquiridos no site da Rede (www.cinemark.com.br) ou na bilheteria do complexo que recebe o evento duas semanas antes de cada espetáculo. Os valores variam entre R$ 60(inteira) e R$ 25(meia).

Sobre os espetáculos
O espetáculo escolhido para abrir a temporada é O Lago dos cisnes, balé com música do compositor russo Pyotr Il’yinch Tchaikovsky e coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov que será exibido no dia 23 de outubro, ao vivo, na Rede Cinemark. Uma das mais conhecidas obras de todo o repertório, O Lago dos Cisnes é também uma das marcas do Royal Ballet. Com direção de Anthony Dowell, o espetáculo conta a história do príncipe Siegfried, interpretado por Nehemian Kish, que se apaixona por Odette, interpretada por Zenaida Yanowsky, uma rainha transformada em um cisne por um feiticeiro.
Os Troianos, de Hector Berlioz, será a primeira ópera apresentada na temporada da Cinemark em 10, 11 e 13 de novembro. Baseada na Eneida, o grande poema de Virgílio, essa obra grandiosa retrata a queda de Troia e o caso entre Eneias e Dido, Rainha de Cartago. A montagem do ROH tem direção cênica de David McVicar, que já assinou espetáculos como Rigoletto, Adriana Lecouvreur e Salomé no Royal Opera. No elenco: Jonas Kauffmann, como o herói Eneias; Eva-Maire Westbroek, como Dido; e Anna Caterina Antonacci, como a profetisa Cassandra. A regência é de Antonio Pappano.
O balé O Quebra nozes, com música de Tchaikovsky e coreografia original de Lév Ivanov, será transmitido nos dias 8, 9, 11 e 13 de dezembro. Em dois atos, o balé conta a história da jovem Clara, interpretada pela bailarina Iohna Loots, que ganha um boneco quebra-nozes na véspera de Natal. Ao ser transportada para um mundo mágico, a menina encontra fadas, camundongos dançantes e outros seres mágicos. A encenação do ROH tem assinatura de Peter Wright.
Na sequência é a vez de La Bohème, ópera de Giacomo Puccini, que será transmitida no Brasil em janeiro de 2013. Dirigida por John Copley e sob a batuta do maestro Mark Elder, esta produção está repleta de detalhes de época, mostrando um panorama da vida parisiense dos anos de 1830. Concebido pela designer Julia Trevelyan Oman, o cenário da ópera varia apresenta um sótão velho, o Café Momus e um pátio coberto de neve durante o amanhecer. Em quatro atos, a ópera conta a trágica história de amor entre a florista Mimi, interpretada pela soprano Maija Kovalevska, e o poeta Rodolfo, papel do tenor Rolando Villazón.
O espetáculo seguinte é a ópera Carmen, de Georges Bizet, apresentada em fevereiro de 2013 nas telas de cinemas. A montagem traz  a cantora Anna Caterina Antonacci como a cigana Carmen e o tenor Jonas Kaufmann como o soldado Don José, seduzido e depois desprezado por ela. Sob a regência do maestro Antonio Pappano, a produção do Royal Opera House mostra uma leitura apaixonada e exótica da obra.
Em março, a Rede Cinemark exibe A Bela adormecida, outro balé com música de Tchaikovsky e coreografia de Marius Petipa. A produção de Monica Mason e Christopher Newton revitaliza a montagem clássica de 1946, assinada por Ninette de Valois, fundadora do Royal Ballet, e Nicholas Sergeyev, diretor do Balé Imperial na época.  No palco, Lauren Cuthbertson, como a princesa Aurora, e Sergei Polunin, como o príncipe Florimundo, dão vida ao conhecido conto de fadas.
Já em abril, a Rede apresenta a ópera Nabucco, de Giuseppe Verdi, sob a batuta de Nicola Luisotti e direção de Daniele Abbado. Em quatro atos, a trama é baseada na história bíblica do Rei Nabucodonosor e apresenta a captura dos hebreus e a luta do Rei contra sua filha Abigail. O renomado tenor Plácido Domingo, que tem cantado papéis de barítono, assume o papel de Nabucco, enquanto a soprano Liudmyla Monastyrska interpreta o difícil papel de Abigail.
La File mal gardée, com música de Ferdinand Hérold e coreografia de Frederick Ashton, é o último balé da temporada, com apresentações no mês de maio. O espetáculo conta a história de Lise, interpretada por Roberta Marquez, que está prometida pela mãe ao filho de seu vizinho rico, o jovem Colas (papel de Steven McRae). Assinada por Christopher Carr, a produção do ROH é repleta de humor, com belas coreografias.
A temporada termina com Faust, ópera de Charles Gounod, em junho de 2013. A obra voltou ao repertório do Royal Opera House com a produção teatral de David McVicar, em 2004. Em cinco atos, o espetáculo apresenta a queda do filósofo Fausto, que vende sua alma ao demônio em troca da juventude. O espetáculo tem regência do maestro Evelino Pidò e os cantores Vittorio Grigolo, René Pape e Angela Gheorghiu nos papéis principais.


PARTICIPE JÁ!
:)
Jade C.

Vamos ALONGAR?

Olá meninas! Estou de volta!! Neste post de hoje estarei falando com vocês sobre a importância do alongamento no ballet.






O alongamento É ESSENCIAL na dança. Não somente no ballet. O alongamento possibilita uma melhor execução dos movimentos, mediante o "aquecimento" e o "trabalho específico" de cada musculatura.
Bailarinas e bailarinos não podem correr o risco de se lesionarem e por isso o alongamento é tão importante. Muitas bailarinas reclamam dos alongamentos, acham chato. Pode ser até chato sim, para alguns. Mas já pararam para pensar no que o alongamento pode proporcionar para nós bailarinas(os)?





  1. FLEXIBILIDADE
Isso mesmo! O alongamento nos proporciona a tão sonhada flexibilidade! O treinamento contínuo nos leva a  relaxar a musculatura, "acostumando-a" a determinadas posições, e "preparando-a" para inúmeros movimentos. O alongamento é NECESSÁRIO para se alcançar as aberturas e evitar distenções futuras.



2.  TÉCNICA

O alongamento é o "melhor amigo" das grandes bailarinas de todo o mundo. Verdade! Todas elas possuem como fiel escudeiro, o alongamento de todos os dias. A técnica, a limpeza dos movimentos só é alcançada através de um alongamento eficiente, meninas! Isso é evidente. Porém, poucos prestam atenção nisso. O alongamento faz parte do backstage da vida de uma bailarina. Poucos enxergam mas ele está lá. Está por trás dos developpés perfeitos da Zakharova (rasgados, diga-se de passagem! Hehe), está por trás dos fouettés perfeitos da Marianela Nuñez e de muitas outras... Que isso possa servir de incentivo para vocês investirem cada vez mais em seus alongamentos. Afinal, é ele que possibilita uma técnica impecável.

(Svetlana Zakharova em 1996)



ALGUMAS DICAS DE ALONGAMENTO:


  Em pé, com os pés paralelos, um à frente do outro (cerca de 30cm de distância), incline o tronco à frente, levando o peito na direção da coxa, com a intenção de tocar o chão com as mãos (figura 1). Projete os ísquios (ossinhos do "bumbum") para cima. Você também pode colocar o pé que está à frente em flex.




Em pé, com as pernas afastadas, flexione o quadril e segure nos tornozelos, mantendo os joelhos estendidos (figura 2). Pense em colocar a cabeça entre os joelhos (alguns chamam essa posição de "pirâmide"). Flexione os joelhos para voltar à posição inicial.


Sentado com as pernas paralelas à frente, flexione um dos joelhos e segure o calcanhar com uma das mãos. Estenda o joelho tentando deixar a perna perpendicular ao solo (figura 3). Cuidado para não relaxar as costas!

(Retirado do site: Dicas para Ballet)

Então é isso meninas, espero que tenham gostado!

Beijos
Jade C.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails